Electra é a primeira autorizada em programa para reduzir demanda por energia

Wilian Miron

21 de setembro de 2021 | 05h20

Governo tenta evitar racionamento compulsório de energia  Foto: MARCELO MIN/ESTADÃO

Para acelerar o programa de Redução Voluntária na Demanda de Energia Elétrica (RDV) e incentivar a adesão de consumidores menores ao mercado livre, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) homologaram a Electra Comercializadora para atuar como a primeira agregadora de carga.

A figura das agregadoras de carga permite aos chamados consumidores especiais, que têm demanda entre 0,5 MW e 1,5 MW, e aos consumidores livres com demandas menores do que 5 megawatts (MW) estipulados pelo Ministério de Minas e Energia (MME) para fazer parte do mercado livre, entrar nesse sistema.

O RDV é o principal mecanismo do governo para reduzir a pressão sobre o sistema elétrico brasileiro e tentar evitar um racionamento compulsório de energia ou eventuais apagões. No programa, quem conseguir reduzir o consumo de eletricidade recebe em troca recompensas financeiras.

Nos primeiros dez dias de setembro o ONS havia informado que obteve a adesão de 237 MW ao programa. Para especialistas do setor elétrico, o montante é pequeno frente à necessidade de redução, mas serve como ponto de partida para incentivar outras empresas a reduzirem.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 20/09/2021 às 18h32.

Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

energiacrise hídricaElectraONSMME

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.