Eleito conselheiro da Vale, Castello Branco defende estratégia ‘à la’ Petrobrás na mineradora

Eleito conselheiro da Vale, Castello Branco defende estratégia ‘à la’ Petrobrás na mineradora

Mariana Durão

04 de maio de 2021 | 05h00

O ex-presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. Foto: Marcos de Paula/Estadão.

Eleito conselheiro de administração da Vale em lista alternativa indicada por fundos de investimento e gestoras, o ex-presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, defende que a mineradora precisa reforçar iniciativas no campo ESG (ambiental, social e de governança), a estratégia de alocação de capital e os investimentos em transformação digital e inovação, para recuperar a posição que já teve no passado.

“A Vale é uma companhia fantástica, com pessoas competentes em seus quadros e ativos de classe mundial, mas precisa melhorar. Já foi a segunda maior mineradora do mundo por capitalização de mercado e hoje é a terceira”, afirmou ao Estadão/Broadcast.

Em sua análise, a Vale precisa desenhar um plano estratégico de longo prazo, com horizonte de 10 a 20 anos. Isso passa por buscar uma gestão eficiente do capital, com aportes de recursos em iniciativas de maior chance de gerar valor ao acionista. Executivo da Vale de 1999 a 2014, ele considera que a empresa errou na diversificação excessiva no passado, o que exigiu a reestruturação iniciada por Murilo Ferreira, com prioridade na redução de custos e desinvestimentos. A estratégia lembra a adotada por ele próprio na Petrobrás.

“Não há muito o que inventar. Para triunfar, uma empresa de petróleo ou de mineração tem de ter custos baixos, não pode ser muito endividada, tem de alocar o capital em ativos de classe mundial, que tragam retorno elevado. Além disso, focar a parte ambiental, social e de governança”, disse.

Pendências em relação a Brumadinho e Mariana

Segundo ele, também há necessidade de solucionar de forma definitiva as questões pendentes em relação aos desastres com as barragens de Brumadinho e Mariana. Só assim a Vale poderá recobrar a confiança dos investidores plenamente. “A reconquista da reputação é algo lento, mas as iniciativas nessa direção têm de ser rápidas, intensas e focadas nas comunidades”, diz.

A atuação dos conselheiros eleitos com o apoio de acionistas minoritários (além dele, Marcelo Gasparino, Mauro Cunha e Rachel Maia), diz ele, será independente. “Não haverá formação de blocos. Somos independentes e vamos procurar discutir com os demais o que é melhor para a Vale. Deve haver união em prol da empresa e de seus acionistas”, afirma.

Castello Branco considera “histórico” o resultado da assembleia geral ordinária (AGO) concluída nesta segunda-feira. Em sua opinião, significará investidores mais bem representados, mais debate e maior qualidade das decisões. Apesar disso, afirma que a governança da Vale ainda tem de evoluir e que o conselho pode ter mais diversidade. O colegiado eleito nesta segunda-feira para o biênio 2021-2023 terá apenas uma mulher entre seus 13 membros, apesar de ter tido quatro indicadas.

Para ele, a inovação é fundamental para todas as dimensões de uma companhia como a Vale: mudança climática, segurança das operações, redução de custos e ganhos de eficiência. “O mundo está mudando muito rapidamente, a revolução digital facilita muita coisa e temos que pensar profundamente nisso”, diz.

Ex-presidente da Petrobrás teve saída conturbada da estatal

Em meio a rumores de que sua eleição ao board da mineradora poderia criar mal estar junto ao governo, após sua saída conturbada da Petrobras, ele afirma que houve uma tentativa de o desqualificar.

“Não tenho nenhuma desavença com o governo, não sou político e tenho boas relações, inclusive com o ministro da área de atividade da Vale, de Minas e Energia (Bento Albuquerque)“, disse. “Além do mais, quem representa a companhia é o CEO”.

Castello Branco preferiu não falar sobre os primeiros passos de seu sucessor na estatal, o general Joaquim Silva e Luna. “Não sou analista, sou executivo. Desejo que tenha muito sucesso”.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 03/05, às 18h00.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

valecastello brancoconselhoesg

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.