Eletrobrás dá mais garantia para dívida de Santo Antônio

Eletrobrás dá mais garantia para dívida de Santo Antônio

Coluna do Broadcast

19 de dezembro de 2018 | 04h00

A Eletrobrás passou a garantir 42,5% da dívida de R$ 8 bilhões na reestruturação dos débitos da Santo Antonio Energia, anunciada pela companhia na segunda-feira, 17. Anteriormente, a garantia da Eletrobrás estava limitada a 39%. O passivo foi renegociado com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e um pool de instituições repassadoras do empréstimo, composto por Bradesco, Itaú Unibanco, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Santander e o chinês Haitong. Além de mais garantias, a remuneração do empréstimo foi elevada de Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais um prêmio de 2% para TJLP mais 3,4%.

Alívio. Em contrapartida, os compromissos com essa dívida foram adequados ao fluxo de caixa da companhia até 2040, levando em consideração o impacto do risco hidrológico, conhecido por GSF no jargão do mercado de energia elétrica. Foi, aliás, a elevação dos custos para a geração de energia, em decorrência da falta de chuva que afeta a produção da hidrelétrica, entre outros motivos, que levou a empresa às dificuldades para pagamento dessa dívida. A Eletrobrás é controladora de Furnas, que é acionista da Santo Antonio Energia, ao lado do FIP Amazônia Energia, da Caixa Econômica Federal, da Odebrecht Energia do Brasil, da SAAG Investimentos, que tem como maior acionista a Andrade Gutierrez Participações, e da Cemig Geração e Transmissão. Procurados, os bancos não comentaram, bem como a Eletrobrás.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast +

Tudo o que sabemos sobre:

eletrobrás

Tendências: