Eletromidia atrai gringos e agora deve crescer com aquisições

Eletromidia atrai gringos e agora deve crescer com aquisições

Fernanda Guimarães

18 de fevereiro de 2021 | 05h00

O metrô é um dos lugares onde a Eletromidia faz a chamada comunicação “out of home”. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Especializada em mídia fora de casa, aquela das TVs de LED em estações do metrô, trens, elevadores, pontos de ônibus e relógios em grandes avenidas (conhecida como ‘out of home’, no jargão do setor), a Eletromidia conquistou estrangeiros em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), que movimentou R$ 871,6 milhões ontem. Com o mercado mais desenvolvido e conhecido no exterior, com gigantes de capital aberto na área como Third Point e Franklin Templeton, os gringos ficaram com 35% do total de papéis emitidos. No País, dois fundos locais ficaram com as maiores fatias: Brasil Capital e Equitas. Capitalizada com a oferta que foi essencialmente primária – ou seja, o dinheiro vai direto para a empresa -, ela pode traçar agora uma via de crescimento por meio de aquisições. Afinal de contas, é um setor altamente pulverizado: a Eletromidia tem participação de 26% do mercado brasileiro e a francesa JCDecaux, de 24%.

Outro caminho de crescimento já vislumbrado é a internacionalização da Eletromidia. O olhar nas compras também está voltado para companhias de tecnologia, já a empresa tem os pés no setor “tech”.

Internet das coisas e smart cities devem favorecer crescimento

Nas reuniões com investidores, os chamados roadshows, a Eletromídia se muniu de elementos para mostrar aos investidores sua pegada “tech”. A ideia é que, com a internet das coisas (IoT, da sigla em inglês), a publicidade fora de casa tenda a ganhar valor. Telões digitais deverão acoplar informações úteis, como horários de ônibus, trânsito, previsão do tempo e notícias, à publicidade. A expectativa, inclusive, é de melhoria no serviço, à medida em que as cidades se tornam “inteligentes” (smart cities). Nas interações dos roadshows – que ainda são online, devido à pandemia – a Eletromidia usou seu próprio produto e as apresentações foram munidas com telões interativos da companhia.

A Eletromidia é fruto da fusão entre Elemidia com Eletromidia. Tem como um de seus acionistas minoritários a São Pedro Capital, do ex-presidente do Google e ex-sócio do fundo de private equity Victoria Capital Partners no País, Alexandre Dias. É ainda uma investida da HIG capital. Nenhum dos dois vendeu sua participação no IPO.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 17/02/2021, às 16:25:28 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

eletromidiaout of homeIPOmídia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.