Em cruzada contra Huawei, EUA pedem ao Brasil incentivo a fornecedor

Em cruzada contra Huawei, EUA pedem ao Brasil incentivo a fornecedor

Anne Warth

08 de agosto de 2021 | 05h29

Se aceito pelo Brasil, pedido dos EUA reduziria poder de fogo da chinesa Huawei  Foto: Andy Wong/AP

Em mais um capítulo da cruzada dos Estados Unidos contra a chinesa Huawei, líder mundial no fornecimento de equipamentos para telefonia 5G, representantes do governo norte-americano pediram que o Brasil adote uma política de incentivo ao OpenRan, padrão que permite que equipamentos e programas de diferentes fornecedores conversem entre si.

Os Estados Unidos pediram ao governo incentivos fiscais para ampliar a cadeia de fornecedores. Indiretamente, a iniciativa reduziria o poder de fogo da Huawei no médio e longo prazo. O assunto foi discutido em reunião na embaixada com representantes de empresas como IBM, Dell, Qualcomm e Nokia.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) afirmou que já criou um grupo de trabalho sobre o OpenRan. No entanto, disse que qualquer incentivo esbarra nos limites e regras do Orçamento – que já estão no limite.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 06/08/2021, às 17h02.

Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

5GHuaweitelecomunicaçõeseua

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.