Em parceria com Google, BV quer cruzar próxima fronteira na concorrência com bancos

Em parceria com Google, BV quer cruzar próxima fronteira na concorrência com bancos

Cynthia Decloedt

21 de fevereiro de 2022 | 14h50

Banco BV (antigo Votorantim). Crédito da foto: Solange Macedo/Divulgação

Com parceria,  banco espera atingir outro patamar competitivo   Foto: Solange Macedo/Divulgação

Um ano após anunciarem parceria estratégica, o BV e o Google Cloud, uma das maiores companhias de big data do mundo, iniciam agora uma jornada de sete anos de co-investimento e co-inovação. A ideia do BV é dar o passo seguinte na diferenciação de entrega de serviços e produtos digitais em relação a seus concorrentes, incluindo os grandes bancos.

“O sucesso das fintechs em relação aos grandes bancos veio até aqui da melhora da experiência do cliente por meio do digital. Nós acreditamos que a próxima fronteira competitiva é a contextualização das ofertas e serviços”, diz o presidente do BV, Gabriel Ferreira. Ele lembra que várias indústrias na era digital já conseguem antecipar o hábito do consumidor e, a partir disso, fazer a oferta contextualizada. “Esse processo, baseado em dado, de antecipar o hábito do usuário e personalizar a oferta ainda não chegou à indústria financeira”, acrescenta.

Nos últimos 12 meses, um grupo de 150 pessoas de ambas as empresas e com expertises bastante sofisticadas desenvolveram as bases tecnológicas e um mapeamento de hipóteses de inovação. “Chegamos a 100 hipóteses e agora entramos em um processo contínuo de co-inovação”, afirma Ferreira. Tais hipóteses estão distribuídas nas arenas de personificação e contextualização de produtos e serviços para os 3,5 milhões de clientes do banco, segurança digital e sofisticação do parque de modelos de inteligência artificial e machine learning.

“Investimentos pesados”

O BV e o Google não revelam o montante que tem sido aplicado na parceria, mas Ferreira afirma que se tratam de investimentos pesados e comparáveis ao feito pelo primeiro time das indústrias globais. Mesmo assim, o banco encerrou o ano com lucro recorde de R$ 1,6 bilhão e melhora em seu índice de eficiência, o que, de acordo com o executivo, é o contraponto de tais investimentos. Neste primeiro ano, o BV teve 30% de ganho de eficiência e 42% de aumento na velocidade de lançamento de novos produtos e serviços como reflexo do processo de migração da infraestrutura para a nuvem.

As primeiras hipóteses estarão na arena da personificação de produtos e serviços que o banco já tem, como seguros e cartões, de acordo com o perfil dos clientes. A diretora-executiva do BV, Adriana Gomes, lembra que a conta digital atingiu 1 milhão de novos clientes no ano passado, que devem ser o ponto de partida para testar essas hipóteses. Mas acrescenta que no futuro outros produtos devem ser entregues a partir da identificação de tendências tecnológicas já comuns na vida das pessoas, como, por exemplo, a internet das coisas.

Segundo ela, outra hipótese que está sendo estudada e testada com o Google é o login fluido ou unificado, que reduz o risco de fraude. “O princípio é que os ciclos de trabalho para entrega sejam curtos: colocar no ar, entender se funcionou e se o cliente gostou e a partir dali deslanchar”, acrescenta.

A parceria deve colocar não só os clientes, mas a própria instituição em outro patamar competitivo. “Nossa cultura em inovação será também compartilhada, para que o BV transforme sua organização para o futuro, porque a concorrência do futuro vai exigir que as empresas se adaptem melhor às mudanças”, comenta o presidente da Google Cloud para a América Latina, Eduardo López. Ele diz que a transformação da tecnologia do BV para cloud (nuvem) também terá impacto positivo nos indicadores de sustentabilidade.

Todos os novos produtos e serviços desenvolvidos estarão disponíveis para o ecossistema de parceiros do banco, que envolvem aqueles da plataforma de Bank as a Service (BaaS), fundos e startups que recebem investimentos do CVC (Corporate Venture Capital), e dos parceiros de inovação do BV Lab, área responsável por incubar novos produtos e serviços e experimentar novas tecnologias.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast no dia 21/02/22, às 05h00.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.