Emergentes estarão na mira de investidores em ativos alternativos

Emergentes estarão na mira de investidores em ativos alternativos

Coluna do Broadcast

04 Novembro 2018 | 05h00

Os mercados emergentes devem concentrar a atenção dos investidores estrangeiros em ativos alternativos, normalmente problemáticos, nos próximos cinco anos. O motivo é a necessidade de diversificação, mostra uma relatório da Preqin, empresa que fornece dados e ferramentas para profissionais dessa indústria, como os fundos de hedge e de private equity focados em empresas em dificuldades.

Nós entre eles
Índia, China, Ásia emergente e o Brasil concentram, nessa ordem, as preferências dos que ainda não têm investimentos nesses países. Entre os quatro, o Brasil foi o que apresentou o menor porcentual de interesse em aumento nos investimentos por aqueles que já têm presença no País. Ou seja, 4% dos que já investem por aqui afirmaram que iriam elevar sua exposição, contra 23% deles na China e 13% na Índia e 13% na Ásia emergente. Mas o porcentual daqueles que não investem, mas pretendem alocar no Brasil (22%) está próximo ao da China (23%), abaixo, entretanto, da Índia (33%) e da Ásia (27%).

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos as notícias em tempo real.