Emissão externa da Oi aumenta pressão para venda da operação móvel

Emissão externa da Oi aumenta pressão para venda da operação móvel

Cynthia Decloedt

28 de julho de 2021 | 05h40

Prédio da Oi no Rio. Foto: Paulo Vitor/Estadão

 

A emissão externa de títulos de dívida (bonds) feita pela Oi nesta terça-feira coloca a operadora em uma nova corrida. Provavelmente, os recursos para o pagamento da dívida de US$ 880 milhões, contraída por meio dessa emissão, virão da venda da operação móvel. Os bonds vencem em cinco anos, mas podem ser liquidados em três anos se a empresa desejar.

Protagonista da maior recuperação judicial da América Latina em 2016, com uma grande disputa concentrada justamente com credores externos, a Oi atraiu demanda expressiva, de US$ 3 bilhões, para a nova captação. O excesso de recursos no mercado e o retorno considerado bastante atraente, de 8,75%, justificam o sucesso.

No entanto, já existem apostas de que, se depender do fluxo de caixa, a Oi pode não ter dinheiro suficiente para honrar a nova dívida até o final. A visão é de que a Oi precisa de muito capital para dar conta de sua operação e ainda enfrenta competição acirrada, inclusive de provedores regionais, como Brisanet, Unifique e Desktop, que têm operações mais leves e chegarão em breve à Bolsa, em busca de recursos para expansão.

A Oi deu como garantia para os investidores dos bonds o direito de uso do espectro das frequências do sinal de telefonia móvel, caso a companhia não cumpra com os compromissos financeiros do título. Esse é um dos ativos considerados mais relevantes para as operadoras. Além disso, se comprometeu a colocar em conta reserva mais de R$ 600 milhões ao mês para honrar dívidas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e mais R$ 200 milhões para os bonds.

De toda a forma, a dívida que está sendo tomada agora é mais barata do que a que está pagando com os recursos captados nessa operação. A Oi vai liquidar um empréstimo Debtor in Possession (DIP) tomado da Farallon Capital, que tinha as ações da Oi Móvel dadas em garantia. Procurada, a Oi não comentou.

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 27/07/2021, às 19h02.

Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

Oiemissãooi móvelrecuperação judicial

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.