Empresa de gestão de lixo prepara criptomoeda de carbono

Empresa de gestão de lixo prepara criptomoeda de carbono

Cynthia Decloedt

14 de março de 2021 | 05h45

Do lixo ao luxo, a Ambipar, empresa de gestão de resíduos com ações em Bolsa, se prepara para entrar no universo das criptomoedas, com o lançamento da Ambipar Coin. O lastro serão créditos de carbono gerados em projetos de reciclagem e aproveitamento dos resíduos de sua carteira de clientes do setor de papel e celulose. Com atuação na geração de biomassa há 25 anos, a companhia aguarda neste momento a certificação dos créditos pela Verra, que deve acontecer no prazo de um ano. Ao mesmo tempo, está desenvolvendo internamente o processo para transformação dos créditos em tokens (fração de um ativo real convertido em digital) e criando sua própria plataforma de negociação.

Carbon pop. A ideia da Ambipar é levar as negociações inclusive para pessoas físicas, por meio de seu app CarbonZ, no qual pessoas e empresas podem calcular e compensar emissão de gás efeito estufa. Segundo Gabriel Estevam Domingos, diretor de P&D da Ambipar e idealizador do projeto, a empresa vê oportunidade para transformar os créditos em receita.

Ganho ao planeta. O Brasil é o maior exportador e o segundo maior produtor no mundo de papel e celulose, portanto, com enorme capacidade de geração de biomassa. Na outra ponta, a indústria de reflorestamento e do agronegócio são grandes consumidores de adubo orgânico. Os créditos são gerados no casamento dos dois processos, que exigem qualidade para nutrição do solo e sequestro eficiente de carbono da atmosfera. Além disso,  elevam a produtividade agrícola.

Ganho financeiro. Além disso, no leque dos diferentes créditos de carbono, esse é um dos que têm maior valor financeiro, já que os benefícios do reaproveitamento dos resíduos vão além da redução de emissão de gases de efeito estufa. Esse tipo de crédito tem impacto positivo na regeneração de biomas e sociais, ou seja, abrangendo um maior número de compromissos definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) na Agenda 2030 e que são diretrizes no Acordo de Paris.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 12/03/2021, às 16:41:55 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

criptomoedacarbonoAmbipar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.