Empresa que desenhou criptografia do Pix mira mercado europeu

Empresa que desenhou criptografia do Pix mira mercado europeu

Matheus Piovesana

27 de julho de 2022 | 05h40

Dinamo desenhou a criptografia utilizada pelo Banco Central (BC) no Pix

 

A Dinamo Networks, empresa que desenhou a criptografia utilizada pelo Banco Central no Pix, espera crescer 40% neste ano. Com faturamento anual de R$ 20 milhões, a companhia se prepara para chegar a novos mercados. No ano que vem, a empresa quer operar na Europa, que tem regulamentação mais parecida com a do Brasil no setor financeiro. Espanha e Portugal devem ser os primeiros mercados.

O mercado norte-americano é um objetivo, mas para um segundo momento. Marco Zanini, CEO da Dinamo, afirma que a maior pulverização do consumo nos EUA torna o ambiente mais complexo e que, apesar de ter tudo pronto para o desembarque, a companhia prefere avançar primeiro do outro lado do Atlântico.

Empresa desenhou solução em nuvem

Inicialmente, a Dínamo tinha um sistema de criptografia baseado em máquinas, o que criava barreiras para a exportação, da logística à homologação. Há alguns anos, a empresa desenhou uma solução de criptografia em nuvem, que facilita a venda em outros países.

Zanini afirma que a empresa já desenvolve uma solução para criptoativos e que essa é uma grande aposta para as futuras operações internacionais. Há discussões com os bancos brasileiros, mas neste caso, as instituições ainda se movimentam com cautela.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 26/07/2022, às 11:45.O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse. 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

DinamopixBanco Central

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.