Empresários de vidro e cerâmica procuram Bolívia para compra direta de gás

Empresários de vidro e cerâmica procuram Bolívia para compra direta de gás

Coluna do Broadcast

14 de agosto de 2019 | 05h00

Por Bárbara Nascimento

Representantes dos setores de vidro e cerâmica, dois dos maiores consumidores de gás natural do País, viajam à Bolívia na próxima semana para negociar a compra direta de gás para o Brasil. Esse seria o primeiro caso de consumo livre de gás. Presidente da Abividro, Lucien Belmonte explica que a ideia é que, com as novas condições de mercado, haja uma redução do preço de US$ 14 para US$ 9 por milhão de BTU. Juntos, os setores consomem 5 milhões de m³ de gás por dia.

Novas condições

O negócio só será possível por conta da renegociação dos contratos de importação do produto via Gasoduto Brasil-Bolívia, com uma potencial queda do preço de 40%. O contrato com a Petrobrás vence em dezembro e, a partir daí, a iniciativa privada poderá negociar diretamente com o vizinho. Além disso, a redução da margem para consumidores livres no Estado de São Paulo ajuda a baixar o preço.

Sondando território

Essa será a primeira ida dos empresários à Bolívia com esse fim. A ideia é sondar condições e abrir um canal para que os empresários negociem diretamente com os bolivianos.

Contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

vidrocerâmicaBolívia

Tendências: