Empresas de pagamento vão ao Cade sobre Linx

Empresas de pagamento vão ao Cade sobre Linx

Fernanda Guimarães e André Italo Rocha

23 de outubro de 2020 | 05h15

Opiniões sobre a oferta da Stone pelo controle da Linx começaram a chegar ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão que analisará o caso do ponto de vista concorrencial. Nesta semana, o órgão recebeu respostas de quatro empresas de pagamentos – Rede, Getnet, Pagseguro e Global Payments – que foram consultadas sobre a operação. Também foram ouvidas uma série de outras empresas do setor.

Privilégio. A Global Payments, única a tornar públicos seus argumentos, disse que a aquisição criaria riscos concorrenciais, por dar à Stone acesso a informações confidenciais de clientes e chance de criar barreiras para as demais credenciadoras. Ela se posicionou, portanto, contra a operação. As respostas de Rede, Getnet e Pagseguro são confidenciais.

Tempo. Outras empresas solicitaram mais prazo ao Cade para enviarem suas opiniões. É o caso da Cielo, que pediu para responder até 3 de novembro e recebeu sinal verde. Além das companhias de meio de pagamento, o Cade também procurou varejistas.

Outro lado. Procurada, a Stone disse que, além dos concorrentes, as consultas do Cade também são feitas com clientes. Afirmou ter certeza dos benefícios a serem gerados com a eventual aquisição da Linx, ao público atendido pelas companhias envolvidas na negociação, a funcionários da empresa que resultaria da compra e a acionistas de ambas as partes. “As percepções dos clientes são bastante positivas quanto à transação. Este é, como tem sido, o principal foco da Stone: oferecer serviços de muita qualidade para todos seus clientes”, disse, em nota.

contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.