Empresas se preparam para antecipar registro para ipo após 2º turno

Empresas se preparam para antecipar registro para ipo após 2º turno

Coluna do Broadcast

07 Outubro 2018 | 15h29

Algumas empresas, como os bancos BMG e Agibank, na fila para abrirem seu capital, deixaram tudo pronto para entrarem com pedido de registro junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e realizarem a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) logo após a definição do pleito eleitoral. A ideia é ter a opção de lançar uma oferta tão logo a janela para captação se abra, o que pode ocorrer em dezembro deste ano.

Carregando…
O mineiro BMG, da família Pentagna Guimarães, por exemplo, tem mantido conversas com analistas que acompanham o setor bancário no âmbito do seu IPO. O Agibank, que chegou a fazer uma tentativa de listar suas ações na bolsa, também se prepara para vir a mercado passadas as eleições no País. São esperadas, ainda, algumas ofertas subsequentes (follow ons) ainda para este ano, como a da Light.

Cronograma
Para conseguirem aproveitar o mês de dezembro para o IPO, as empresas precisam fazer o protocolo da oferta antes do segundo turno, conforme o prazo regulatório. Para isso, precisam correr para fechar o balanço correspondente ao terceiro trimestre do ano. O grupo de empresas à espera da abertura do mercado é grande. Os bancos de investimento têm hoje mais de R$ 20 bilhões em ofertas de ações represadas. A depender do crescimento da economia, contudo, o cálculo é de que o volume de ofertas possa, facilmente, superar os R$ 70 bilhões em um intervalo de dois anos.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos as notícias em tempo real