Escola americana anuncia fusão e oferece diploma de high school para alunos do País

Escola americana anuncia fusão e oferece diploma de high school para alunos do País

Luísa Laval

11 de dezembro de 2020 | 05h00

A escola americana Really Experience concluiu a fusão com a Flex Learning, empresa especializada na implantação de soluções para desenvolvimento de fluência em inglês e duplo diploma de Middle e High School, que equivalem aos Ensino Fundamental e Médio norte-americanos. Após a integração, a companhia vai adotar o nome Really Flex.

A operação também envolve a compra de parte da Flex Major, braço americano da Flex Learning que certifica estrangeiros com diplomas internacionais de ensino americano. A empresa tem como um de seus principais investidores Antônio Carbonari Netto, fundador da Anhanguera Educacional e atual CEO da Miami University of Science and Technology (Must), universidade dos Estados Unidos voltada preferencialmente para estudantes brasileiros.

As duas empresas foram fundadas por brasileiros. A Really Experience, sediada na Flórida, transmite aulas de professores americanos para 58 escolas brasileiras desde 2018. Já a Flex Learning conta com 49 escolas no Brasil e em outros países.

Inicialmente, a Really Experience priorizava cidades com menos de 250 mil habitantes, mas agora pretende se expandir para capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, e fechar parcerias com grandes colégios. Após a operação, as empresas devem atender, juntas, mais de 5 mil estudantes.

“Com a fusão, o nosso DNA será alcançar todas as cidades, independentemente do volume de habitantes, porque temos produtos e serviços para ofertar a todo o tipo de cidade”, afirma o Co-CEO da Really Flex, Édney Quaresma, em entrevista ao Broadcast.

Entre o portfólio de serviços, a Really Flex oferece sua metodologia para escolas a partir de R$ 50 por aluno e aulas em contraturno e acompanhamento escolar a partir de R$ 249 por aluno. Para as que queiram oferecer os diplomas americanos, é preciso negociar caso a caso com a empresa.

“Nós possibilitamos que o aluno tenha escolha. Não será apenas o Enem: por meio do High School, ele pode ter a liberdade de escolher estudar nos Estados Unidos”, diz Quaresma. “Também temos uma assessoria para ajudar o aluno a encontrar bolsas de estudos.”

Ele diz estar otimista com as perspectivas do negócio. “Com a pandemia, os pais perceberam que a modalidade híbrida de ensino funciona e entenderam que os filhos precisam estudar inglês. A demanda já cresceu e tende a crescer ainda mais”, afirma Quaresma.

Para Vinícius Nunes, CEO da Universidade do Intercâmbio, empresa que prepara estudantes para estudar fora, a oferta de High School no Brasil é atrativa para pais com receio de que os filhos adolescentes estudassem fora do País.

“Nada substitui o intercâmbio em si. Quanto mais tempo você estiver fora, melhor”, afirma. “Mas para pais que têm preocupação com menores de idade é um excelente ponto de partida. Essa dupla diplomação já dá um empurrão para uma experiência internacional.”

Segundo ele, a procura por intercâmbios e graduações no exterior tem crescido no último ano, especialmente entre jovens de 18 a 24 anos. Na companhia, as buscas dobraram desde o início do ano. “Recebíamos 200 novos alunos por mês e agora são entre 400 e 500”, diz.

A maioria dos estudantes e famílias não se sente satisfeita com os currículos oferecidos nas faculdades brasileiras, e busca oportunidades fora para conseguir um diferencial na formação, ele afirma.

“Há uma questão educacional no Brasil: a faculdade é totalmente teórica, e vemos vários alunos e professores desmotivados”, diz. “Lá fora, apesar de não ser perfeito, a metodologia e a estrutura dos cursos colocam o aluno à frente no mercado de trabalho.”

Não foram divulgados o valor da transação nem o faturamento das empresas envolvidas na criação da Really Flex.

 

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 04/12/2020 14:32:27 .

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.