Escolha da BDO para administrador da Oi coloca justiça do Rio em ‘saia justa’

Coluna do Broadcast

04 de abril de 2017 | 05h00

A escolha da BDO Consultoria para substituir a PwC como administrador judicial da Oi causou uma saia justa. A ordem judicial foi emitida pelo juiz Fernando Viana, da 7ª Vara do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, e responsável pelo processo da tele, na sexta-feira, mesma semana em que a BDO fechou contrato de auditoria do balanço da tele até 2019, no lugar da KPMG. Isso deixaria a consultoria com duas funções: a de administradora judicial e de auditora do balanço. A BDO já avisou que não pode praticar as duas funções, por conflito de interesse. A função de administrador tem um apelo maior, pois os honorários são superiores aos recebidos pelo balanço. Pelos serviços prestados à Oi, a PwC iria receber R$ 77,7 milhões. Procurada, a tele não comentou.

Siga a @colunadobroad no Twitter