Escritório Cascione, Pulino, Boulos &  Santos quer dobrar até fim do ano

Escritório Cascione, Pulino, Boulos & Santos quer dobrar até fim do ano

Economia & Negócios

29 Junho 2018 | 04h00

Atento às oportunidades oferecidas pela deterioração do cenário econômico e político dos últimos anos, o escritório Cascione, Pulino, Boulos & Santos (CPBS) pretende dobrar de tamanho até o final deste ano. Hoje, a banca, que conta com 65 advogados e 16 sócios, é referência especialmente na área de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês). Com a expansão, o escritório passará a ser full service.

Novos. Quatro novos sócios ingressaram recentemente ao time do escritório. Paulo Campana, ex-Felsberg, está à frente da área de reestruturação e insolvência, a qual não existia no escritório. Renato Duarte Franco de Moraes, Leonardo Espíndola e Paulo Renato Barroso reforçam a prática contenciosa. Espíndola foi procurador-geral do Estado do Rio de Janeiro até novembro de 2017.

Siga a @colunadobroad no Twitter