Eve deve chegar à Bolsa em maio mais valiosa do que a controladora Embraer

Eve deve chegar à Bolsa em maio mais valiosa do que a controladora Embraer

Altamiro Silva Junior e Juliana Estigarríbia

29 de abril de 2022 | 05h15

Projeto de ‘carro voador’  da Eve, startup criada pela Embraer   Foto: Embraer

A Eve, startup de “carros voadores” da Embraer, está muito próxima de ser listada na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse) em uma operação que vai ser concretizada por meio da fusão com a norte-americana Zanite, uma companhia de propósito específico de aquisição (Spac, na sigla em inglês), também conhecida como empresa de “cheque em branco”, focada no setor de aviação. A reunião dos acionistas para aprovar a fusão está marcada para o dia 6 de maio. A Eve deve ter um “equity value” de US$ 2,9 bilhões, maior do que o da própria fabricante cinquentenária de aeronaves, que ontem tinha valor de mercado próximo de US$ 2 bilhões.

A reunião da Zanite vai ser feita virtualmente, às 12h (pelo horário de Brasília). A recomendação do comando da Spac, que captou US$ 230 milhões no fim de 2020, é que os acionistas aprovem a combinação de negócios. A expectativa é que três dias depois da reunião a operação esteja concluída.

Além da Spac, outros investidores farão aporte de US$ 357 mi

A Spac vai injetar US$ 237 milhões na Eve. Outros US$ 357,3 milhões virão da Embraer e de um grupo de investidores que inclui Azorra Aviation, BAE Systems, Bradesco BBI, Falko Regional Aircraft, Republic Airways, Rolls-Royce e SkyWest.

A Eve nasceu dentro da Embraer e ganhou asas com o desenvolvimento do veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL). A estimativa de receita da companhia é de US$ 4,5 bilhões em 2030, e sua carteira de pedidos atual é de 1.825 unidades. No entanto, as primeiras entregas só devem ocorrer após a certificação das aeronaves, em 2025.

As concorrentes da startup brasileira Archer e Joby já abriram capital em Nova York, mas vêm enfrentando desafios para manter seu valor em meio ao cenário de inflação global e crise da pandemia. Ainda assim, a Eve aposta no potencial desse segmento: estima que esse mercado deva atingir US$ 31 bilhões por ano em 2030 e US$ 119 bilhões ao ano em 2040.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 28/04/22, às 16h50.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.