Evino projeta crescimento de 70% no começo de 2021 com investidores

Evino projeta crescimento de 70% no começo de 2021 com investidores

Fernanda Guimarães

28 de outubro de 2020 | 11h11

Foto: Nilton Fukuda/Estadão

 

Enquanto a concorrente Wine está perto de concluir sua abertura de capital, a empresa de ecommerce de vinhos Evino prevê crescimento de 70% no primeiro trimestre de 2021, na relação anual. De olho na estratégia de expansão está mantendo conversas ativas com potenciais investidores. A receita bruta no ano até setembro chegou em R$ 300 milhões, aumento de 72% na relação anual.

Tintim. Para o ano, a projeção é encerrar com o total de R$ 400 milhões, com impulso do crescimento do consumo e das vendas online neste ano, com as medidas de isolamento. Desde 2013, quando foi criada, a Evino levantou pouco capital. Ao todo foram R$ 33 milhões, feita pelos próprios sócios.

Sete chaves. Os sócios da Evino são os fundadores Ari Gorenstein e Marcos Leal, que ocupam juntos a presidência da empresa. Em 2013 e 2014, a empresa recebeu aportes de um family office (um fundo que administra a fortuna de uma família brasileira), cuja identidade sempre foi mantida em sigilo.

Chega mais. Apenas no intervalo de janeiro a agosto, a Evino importou 7,68 milhões de garrafas de vinhos, 85% a mais do que o mesmo período de 2019.

Tudo o que sabemos sobre:

Evino

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.