Ex-CEO do Citi integrará conselho de empresa ‘cheque em branco’ verde

Ex-CEO do Citi integrará conselho de empresa ‘cheque em branco’ verde

Gabriel Baldocchi

14 de setembro de 2021 | 05h30

Foto: Andrew Kelly/ Reuters

O ex-presidente do Citi no Brasil, Helio Magalhães, foi escalado por mais um grupo de investidores para ajudar a encontrar uma oportunidade de negócio promissora e sustentável. Ele fará parte do conselho da empresa de “cheque em branco” Enphys Acquistion Corp, que se prepara para levantar US$ 250 milhões na Nasdaq em busca de um ativo voltado à transição energética e renováveis na região ibero-americana (países da América Latina de língua portuguesa e espanhola, mais Portugal e Espanha).

Magalhães já integra o conselho da Valor Latitude Aquisition Corp., iniciativa “cheque em branco” de US$ 230 milhões, voltada para o setor de tecnologia na América Latina. Nos Spacs, sigla oficial da modalidade, a experiência dos executivos conta muito porque os investidores não sabem de início qual será o alvo dos recursos. O time é encarregado de encontrar uma empresa com potencial para então fazer uma fusão e levá-la à Bolsa.

Na Enphys, o ex-CEO do Citi estará ao lado de outro brasileiro. Carlos Guimarães, que ajudou a criar o grupo hoteleiro nacional BHG (Brazilian Hospitality Group), será presidente do conselho. Jorge de Pablo, CEO da iniciativa “cheque em branco”, também tem vínculos com o Brasil. Ajudou a alocar mais de US$ 1,5 bilhão em ativos na América Latina e trabalhou para diversas empresas no País, como a própria BHG, a BR Properties e a Brenco, de energias renováveis.

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 13/09/2021 às 18h15.

Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

helio magalhaesSpaccitinasdaq

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.