Família Frias prepara investimento de R$ 380 milhões no mercado imobiliário

Família Frias prepara investimento de R$ 380 milhões no mercado imobiliário

Circe Bonatelli

17 de agosto de 2021 | 14h40

Pessoas caminham na região de Perdizes, na capital paulista   Foto: Márcio Fernandes/Estadão

A família Frias, dona de UOL, Folha e PagSeguro, está preparando um novo investimento, agora no mercado imobiliário paulistano. É justamente o family office que representa os Frias que está por trás da oferta de R$ 380 milhões pelo projeto Jardim das Perdizes. O lance foi tornado público ontem, 16, pela Tecnisa, dona do empreendimento em parceria com a Hines. A proposta partiu da OFL Empreendimentos Imobiliários, braço da holding OFL SA, que, por sua vez, controla o Grupo UOL.

Não será a primeira tacada dos Frias no segmento imobiliário. A OFL Empreendimentos comprou, em 2009, um conjunto de 3 mil metros quadrados de salas comerciais da Cyrela Commercial Properties por R$ 45,5 milhões. Elas ficam no Centro Empresarial Mario Garnero, na avenida Brigadeiro Faria Lima, na capital paulista.

A oferta agora é por uma participação de até 38,95% do capital votante das sociedades Windsor e JDP E1, criadas para o desenvolvimento do Jardim das Perdizes, minibairro que reúne prédios residenciais e comerciais na zona oeste da capital e vem sendo erguido pouco a pouco nos últimos anos. A Tecnisa é a desenvolvedora do empreendimento e detém 57,5% do capital social, enquanto a Hines fica com os 42,5% restantes.

Potencial

Os Frias estão de olho no potencial do Jardim das Perdizes. Ao todo, o empreendimento contempla terrenos que podem gerar R$ 2,8 bilhões em valor geral de vendas com futuros imóveis. O projeto ainda fechou o primeiro semestre com R$ 49 milhões em caixa e outros R$ 15 milhões em recebíveis de vendas de apartamentos.

Os próximos lançamentos no local estão previstos para ocorrer só no ano que vem. O maior risco na região é a dependência de Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs), como parte da Operação Urbana Água Branca. Mas os leilões ainda não têm data certa e podem atrasar o cronograma.

O conselho de administração da Tecnisa aceitou a proposta de venda. Os recursos poderão ser usados na compra de novos terrenos, pagamento de dívidas ou distribuição de dividendos, a ser decidido. A companhia também seguirá como responsável pelas obras do projeto. O Grupo UOL foi procurado, mas não respondeu.

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 17/08/21 às 08h20.

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.