Fintech entra em nicho pouco explorado, de compra de crédito podre de PMEs

Fintech entra em nicho pouco explorado, de compra de crédito podre de PMEs

Cynthia Decloedt

23 de setembro de 2020 | 05h00

Com atuação em um nicho de mercado pouco explorado, a fintech BLU365 está começando a comprar carteiras com dívidas não pagas, os chamados créditos podres, de pequenas e médias empresas. Esse grupo de companhias está entre os mais afetados pela crise da pandemia, em termos de acesso a novos recursos. Elas também interessam pouco aos grandes participantes do mercado de crédito podre, com carteiras de R$ 10 milhões a R$ 50 milhões em empréstimos vencidos.

Base. Criada em 2014 e residente do CUBO, centro de fomento a startups do Itaú Unibanco, a BLU365 cresceu como plataforma de renegociação digital de empréstimos, com clientes como Avon, Oi e Vivo. Atualmente, tem registradas cerca de 20 milhões de pessoas em sua plataforma e faz entre 150 mil a 200 mil negociações por mês. Com os dados produzidos nas transações e, contando com ferramentas de inteligência artificial, a BLU365 também produz estudos comportamentais, de mercado e econômicos.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 22/09/2020 às 15:59:15 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

BLU365PMEs

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: