Frente Corretora, de ex-XPs, quer se tornar banco de câmbio

Frente Corretora, de ex-XPs, quer se tornar banco de câmbio

Coluna do Broadcast

15 de setembro de 2019 | 08h25

A Frente Corretora, empresa criada por ex-sócios da XP Investimentos, quer se tornar um banco de câmbio. A empresa, que replica o modelo de agentes autônomos, prepara o pedido ao Banco Central e um reforço de capital. Dentro da estratégia de ganhar espaço no bilionário mercado de remessas internacionais, a Frente busca ainda ter maior presença nos Estados Unidos. Já tem uma filial em Miami e entrou com a documentação para ter unidades em Nova York e Boston.

Nicho

A Frente nasceu em 2016 como um correspondente cambial, prestando serviços a clientes, e se tornou uma corretora em 2017. Este ano, começou a oferecer transferência de recursos para o exterior sem custo para remessas até US$ 3 mil, tudo feito virtualmente. O país tem poucos bancos de câmbio, como o Ourinvest e o Rendimento, que podem, por exemplo importar diretamente dólar do exterior.//Altamiro Silva Júnior

Contato:colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: