Fundo de aluguel residencial, novidade no setor, não atinge captação mínima

Fundo de aluguel residencial, novidade no setor, não atinge captação mínima

Circe Bonatelli e Karla Spotorno

20 de dezembro de 2019 | 04h00

Mesmo com o forte crescimento da indústria de fundos de investimentos imobiliários (FIIs) neste ano, o Fundo Housi – baseado em apartamentos para aluguel, uma novidade do setor – não atingiu a captação mínima prevista, de R$ 150 milhões, no período de reserva encerrado nesta semana. O valor base da oferta era de R$ 350 milhões. O FII tem a Easynvest como coordenador líder e a Vortx como administrador. O objetivo é usar o dinheiro na aquisição de imóveis operados pela Housi, plataforma online de aluguel de apartamentos, que surgiu como cisão da incorporadora Vitacon, do empresário Alexandre Frankel.

Tente outra vez. A Easynvest e a Housi informaram que a oferta foi prorrogada e está mantida. Nesta sexta-feira, 20, será enviado um comunicado com informações a respeito. Agentes do mercado de capitais dizem nos bastidores que o fundo tem falhas, como precificação. Por isso, algumas casas que tinham sido procuradas inicialmente pra fazer a distribuição resolveram não participar da oferta. Se não for cancelado, será o segundo FII baseado em apartamentos residenciais para locação. O primeiro a ir a mercado foi o FII Luggo, com captação de R$ 90 milhões neste mês.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: