Fusão de Minerva e BRF seria uma das estratégias avaliadas por Parente

Fusão de Minerva e BRF seria uma das estratégias avaliadas por Parente

Coluna do Broadcast

05 Junho 2018 | 17h15

Uma operação de fusão da BRF com a Minerva seria uma das estratégias analisadas por Pedro Parente, ex-presidente da Petrobras, para revigorar a indústria de proteínas, que passa por uma grave crise, conforme informou a Coluna mais cedo no terminal do Broadcast. O objetivo final seria fortalecer ambas empresas e ganhar mercado, principalmente da JBS, que teve sua participação comprometida pelas operações Lava Jato e Carne Fraca. Além disso, uma empresa complementa a outra. Enquanto a Minerva opera majoritariamente no segmento de proteína bovina, a BRF atua nos mercados de suínos e de frangos. Juntas, portanto, poderiam fazer frente ao grupo dos irmãos Batista, que estão nos três mercados.

Como seria?
A operação de fusão abrangeria um aporte de US$ 3 bilhões de novos acionistas na Minerva, entre os quais um family office de empresário do setor sucroenergético e da base acionaria da Minerva. O passo seguinte seria a fusão com a BRF, sendo que a nova empresa seria administrada pela Minerva. Esse também teria sido um dos motivos, de acordo com conversas de bastidores, que fizeram Parente ‘segurar’ o processo de contratação de uma empresa de headhunter para a busca de um novo presidente para a BRF uma vez que ele mesmo já cogitava ocupar o cargo.

Preliminar
A possível operação de fusão estaria ainda em fase de conversas. Os sócios da Minerva, entre os quais estão o fundo árabe Salic, ainda não teriam batido o martelo. Procuradas, BRF e Minerva não comentaram. Parente nega que esteja articulando qualquer negociação neste sentido.

Siga a @colunadobroad no Twitter