Fusão entre Austral e Terra Brasis já tem gestão definida

Coluna do Broadcast

10 de abril de 2019 | 04h00

As conversas para unir as operações de resseguros da Austral Re, controlada pela Vinci Partners, e Terra Brasis, do Brasil Plural, estão avançando, mas dependem de um entendimento entre os três sócios para ir aos ritos finais. Isso porque além dos dois ainda está na mesa o braço financeiro do Banco Mundial, a International Finance Corporation (IFC), que tem investimento em ambas e deve continuar na empresa resultante. Apesar de alguns pontos de discordância entre os sócios, já está definido como ficará o comando da futura empresa. O atual CEO da Austral Re, Bruno Freire, deve permanecer na presidência da resseguradora resultante enquanto o presidente da Terra Brasis, Rodrigo Botti, ocupará o cargo de CFO (vice-presidente financeiro).

Segue o jogo. A ideia dos sócios é concluir a fusão da Austral e da Terra Brasis, que constituiria a terceira maior resseguradora do País, com quase R$ 500 milhões em prêmios, atrás de IRB Brasil Re e Munich Re, conforme dados do ano passado da Superintendência de Seguros Privados (Susep). Na sequência, querem listar ações na bolsa brasileira para fazer frente à necessidade de capital de ambos os players e de quebra pegar carona no desempenho bem-sucedido do IRB na B3. Procuradas, Austral e Terra Brasis não comentaram o assunto.

Mais conteúdo sobre:

seguros