Fusões e aquisições e IPOs vão retomar crescimento acelerado até 2021

Fusões e aquisições e IPOs vão retomar crescimento acelerado até 2021

Coluna do Broadcast

30 de dezembro de 2018 | 04h00

Operações de fusão e aquisição e abertura de capital represadas durante os anos de crise e eleição devem resultar num período de crescimento acelerado nessas áreas até 2021, de acordo com o relatório de previsões que o escritório Baker McKenzie acaba de concluir com a Oxford Economics (OE). A expectativa é de que haja aumento de cerca de 30% nos negócios de compra e venda entre empresas e de quase 80% no volume financeiro movimentado pelas ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês).

Gringos

Segundo Lara Schwartzmann, sócia do Trench Rossi Watanabe, parceiro do Baker no Brasil, enquanto as fusões e aquisições (M&A) que aconteceram em 2018 foram feitas marcadamente por brasileiros, para o próximo ano deve haver maior presença de estrangeiros. O escritório tem percebido demanda crescente já neste ano, estimulada pelo câmbio favorável, sobretudo nas áreas de tecnologia e energia, além de consumo, saúde e educação.

Números

O relatório indica que as operações de M&A devem passar de US$ 35 bilhões para US$ 46,8 bilhões, entre 2018 e 2019. Até 2021, a expectativa é de que cheguem a quase US$ 50 bilhões. Já o número de acordos passará de 347 para 451 entre este ano e o próximo, superando os 600, até 2021. As aberturas de capital, que movimentaram US$ 3,1 bilhões neste ano, chegarão a US$ 5,5 bilhões no próximo. Até 2021, serão US$ 5,9 bilhões. (Cristiane Barbieri)

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast +