Gafisa arma alçapão para comprar Tecnisa

Gafisa arma alçapão para comprar Tecnisa

Circe Bonatelli

21 de agosto de 2020 | 05h30

Prédio em obra mostra expansão do mercado imobiliário. Crédito da foto: Rafael Arbex / Estadão

A Gafisa está disposta a fazer uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) para comprar a Tecnisa com ou sem a aprovação do controlador da rival, o empresário Meyer Nigri, conforme apurou a Coluna. As duas incorporadoras divulgaram comunicados ao mercado informando sobre a possibilidade de combinação dos negócios, mas nos bastidores o que está se tomando corpo, na verdade, é uma possível anexação da Tecnisa contra a vontade do controlador.

Xadrez. O alçapão da Gafisa já está montado. Ela adquiriu no mercado 3,1% das ações da Tecnisa e pediu a convocação de uma assembleia para que a fusão seja deliberada pelos acionistas controladores e minoritários na mesma ocasião. A Gafisa também pediu a votação da retirada da cláusula do estatuto da Tecnisa que coíbe a aquisição de participação superior a 20% na companhia, o que abriria caminho para a entrada de um sócio majoritário. A lista de pleitos inclui ainda a destituição e eleição de um novo conselho e uma capitalização de R$ 500 milhões – que, se não for seguida pelos atuais donos da Tecnisa, levaria à sua diluição na empresa.

Tabuleiro. A movimentação coloca em xeque o comando de Meyer Nigri, que fundou a Tecnisa na década de 70 e nunca abriu mão do controle, mesmo após o IPO em 2007. Meyer e família têm 24% das ações hoje. E barrar o avanço da rival vai ser uma tarefa complicadíssima. Os 76% de ações restantes estão nas mãos de milhares de acionistas minoritários. Se o valor da OPA for bom, eles não devem se opor à tentativa de compra da Gafisa.

Cortina. A Gafisa tem o capital pulverizado, sem a figura explícita de um chefão. Mas essa figura existe. O poder é exercido nos bastidores por Nelson Tanure, conhecido pelas intervenções em empresas em recuperação judicial, como Oi e PetroRio. Tanure é conselheiro e acionista na Gafisa, mas seu nome não aparece no quadro societário porque sua participação é indireta, por meio da Planner Redwood Asset Management, gestora dona de 30% da incorporadora. E a Gafisa tem poder de fogo. São R$ 570,2 milhões em caixa e um novo aumento de capital em andamento no valor de R$ 389,9 milhões. Daria para arrematar um bom pedaço da Tecnisa, que tem valor de mercado de R$ 770 milhões.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 19/08/2020 às 19:23.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

Gafisatecnisa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.