Gigante holandês que comprou Paraty Capital terá corretora no Brasil

Gigante holandês que comprou Paraty Capital terá corretora no Brasil

Karla Spotorno

30 de janeiro de 2022 | 05h20

Rodrigo Zambon, executivo da TMF no Brasil  Foto:  TMF Group Brasil/Divulgação

O grupo holandês TMF tem planos ambiciosos para o Brasil. Quer crescer em torno de 40% em até três anos no atendimento a gestores de fundos e ativos alternativos. Mal anunciou a estreia nesse segmento no País com a compra da brasileira Paraty Capital, que administra fundos de private equity, infraestrutura, venture capital e corporate venture, e o grupo já planeja constituir uma distribuidora de título de valores mobiliários (DTVM) e, num segundo momento, uma securitizadora.

“A partir da aquisição da Paraty, queremos constituir uma DTVM, que vai nos permitir executar serviços que requerem uma entidade regulada, e depois queremos ampliar o negócio para a área de securitização”, diz Rodrigo Zambon, executivo à frente da operação local da TMF. Entre esse serviços, estão a administração de fundos imobiliários, administração de FIDCs, custódia e representação de investidores não residentes; custódia, controladoria e escrituração para fundos de investimentos em geral; agende fiduciário (para operações de mercado de capitais), registrador de certificados de recebíveis, tais como CRIs ou CRAs.

Segundo Zambon, estão em estudo interno tanto a criação de uma distribuidora quanto a compra de alguma DTVM no mercado. A segunda opção abreviaria o processo de autorizações, que envolve órgãos reguladores federais como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o Banco Central (BC) e que, geralmente, toma mais de um ano. Mas a primeira opção, ou seja, a abertura do processo acaba de ser iniciada.

Meta de expansão

A meta de crescimento de 30% a 40% nos próximos dois a três anos deve ser alcançada, conforme o executivo, de forma orgânica e usufruindo de sinergias com outros escritórios do TMF no mundo. O grupo está presente em 89 jurisdições no planeta, entre elas hubs de investimentos icônicos como Luxemburgo, na Europa, e Nova York e Ilhas Cayman, nas Américas.

“O Brasil é um hub importante dentre os principais corredores de investimento do mundo. Nos principais corredores da Europa, Américas, Ásia, a TMF já está estabelecida. Faltava o Brasil para complementar a oferta de serviços especializados para grandes clientes ao redor do mundo”, diz o executivo.

E no mercado doméstico, a múlti holandesa enxerga perspectivas promissoras para fundos de diferentes nichos. Entre os principais, Zambon cita fintechs e serviços financeiros, logística, infraestrutura, saúde e agronegócio.

O executivo afirma que, no momento, não há planos de novas aquisições e que o esforço agora é executar a integração dos serviços e da equipe da Paraty no escritório da TMF no Brasil. Os cofundadores da Paraty, Christiano Jonasson e Fernando Taminato, inclusive, continuam trabalhando e mantendo seus cargos executivos.

“Somos uma companhia investida [controlada] pela CVC Capital Partners, uma das cinco maiores empresas de private equity do mundo. Então, essa agenda de crescimento no Brasil é muito importante”, diz Zambon.

Nova frente de negócios

Com a aquisição, o grupo holandês inaugura no Brasil a oferta de serviços globais para a indústria de fundos, que é o carro-chefe do grupo em outros países. Com a Paraty, o TMF estreia com R$ 15 bilhões em ativos de clientes. “[Com esse montante inaugural], temos um market-share estimado inferior a 5% nesse mercado que já é muito fracionado”, conta.

Até então, a multinacional atuava com serviços administrativos, de recursos humanos e também para o mercado de capitais, atendendo tanto empresas, instituições financeiras, gestores de ativos e escritórios familiares. Estreou no atendimento a empresas também a partir de uma aquisição. Em 2017, comprou a unidade de negócios do Deutsche Bank no Brasil que atuava em M&A (fusões e aquisições) e processos de recuperação judicial. O grupo holandês tem mais de 160 bilhões de euros em ativos em nome de seus clientes considerando todas as localidades onde atua.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 28/01/22, às 20h11.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.