Globalmente, volume de IPOs desaba 47% no 1º semestre

Globalmente, volume de IPOs desaba 47% no 1º semestre

Economia & Negócios

18 de julho de 2018 | 04h00

As ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) giraram, no mundo, US$ 110,3 bilhões no primeiro semestre deste ano, queda de 47% em relação a igual intervalo do ano passado, de acordo com levantamento realizado pela PwC. Desse total, US$ 58,1 bilhões foram no segundo trimestre do ano. Em número de operações, a queda foi de 61%, com 589 IPOs no período. Na Bolsa brasileira, as três ofertas iniciais do ano ocorreram em abril: Notredame Intermédica, Hapvida e banco Inter. Em janeiro, a brasileira Pagseguro abriu seu capital, mas escolheu a bolsa de Nova Iorque, a Nyse, ao invés da B3.

Gigante. O IPO da PagSeguro, que movimentou US$ 2,6 bilhões, foi o quinto maior IPO global na primeira metade deste ano. O maior foi na bolsa alemã, a Deutsche Börse, realizado pela Siemens Healthineers, que girou US$ 5,2 bilhões. Na sequência está a recente oferta da chinesa Xiomi, de US$ 4,7 bilhões, na bolsa de Hong Kong. Do total dos IPOs, 32% foram nos Estados Unidos, 12% na China e 10% em Hong Kong.

Bilhões e bilhões. As ofertas subsequentes, os follow ons, por sua vez, somaram US$ 272,2 bilhões globalmente de janeiro a junho, ainda conforme dados da PWC. O montante é 56% inferior ao visto no mesmo intervalo do ano anterior.

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+ e veja todos as notícias em tempo real.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.