Gôndolas voltam a ficar mais desfalcadas em abril e auxílio menor eleva busca por itens baratos

Gôndolas voltam a ficar mais desfalcadas em abril e auxílio menor eleva busca por itens baratos

Talita Nascimento

06 de junho de 2021 | 05h30

Crédito da foto: Amanda Perobelli/Estadão

Após dois meses em queda, o índice que mede a falta de produtos nos supermercados, a chamada ruptura nas gôndolas, voltou a subir e o mês de abril fechou com média de 11,03%. No ranking de produtos com maior falta estão as bebidas à base de soja (27,5%), leite longa vida (16,6%), ovos (16,2%), proteína de soja (15%) e até chocolates (14,9%) e rum (13,3%), conforme estudo desenvolvido pela Neogrid, empresa especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.

Após quatro meses em alta (de setembro de 2020 a janeiro), o índice havia recuado em fevereiro (11,45%) e março (10,68%). De acordo com Robson Munhoz, diretor de operações da Neogrid, a melhora do indicador se relaciona com a retomada da produção de embalagens nos primeiros meses do ano. Já a piora em abril vem do aumento no consumo, provocado pela volta do auxílio emergencial.

Pechincha

Com a alta da inflação e o novo auxílio menor, o consumidor passou a comprar produtos mais baratos. Como o varejo não responde tão rapidamente, faltam alguns produtos nas prateleiras, como ovos. Segundo Munhoz, com a pandemia e o cenário econômico, algumas indústrias começam a apresentar problemas financeiros e isso também afeta o ritmo de produção.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 4/6, às 13h59.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.