Hackers atacam reunião virtual do Banco Mundial e criam constrangimento a ministro chinês

Hackers atacam reunião virtual do Banco Mundial e criam constrangimento a ministro chinês

Célia Froufe

09 de abril de 2021 | 05h10

Sede do Banco Mundial. Foto: Reuters

Durante a reunião virtual de coalizão de ministros das finanças para Ação Climática organizada pelo Banco Mundial esta semana, a transmissão foi hackeada durante o pronunciamento do ministro chinês Xiao Jie. Por alguns segundos, todos os participantes viram em sua tela uma mensagem dizendo que a China teria que “pagar” pela disseminação do coronavírus.

A frase ficou exposta apenas por alguns segundos, mas foi tempo suficiente para constranger os presentes e para que o Banco Mundial se desculpasse pelo ocorrido por meio de seu chat. As primeiras informações são a de que a violação ocorreu por meio da senha do Sri Lanka.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 08/04, às 14h19.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.