Hapvida rouba a cena na temporada de ofertas da B3 com operação que pode movimentar R$ 2,67 bi

Hapvida rouba a cena na temporada de ofertas da B3 com operação que pode movimentar R$ 2,67 bi

Cynthia Decloedt

15 de abril de 2021 | 05h05

Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A oferta subsequente de ações (follow-on) da operadora de saúde Hapvida emperrou a chegada de estreantes do setor à Bolsa. A gigante anunciou no domingo que vai lançar mais ações, numa oferta que pode movimentar até R$ 2,676 bilhões, considerando a venda de todos os lotes. Os investidores, muito ressabiados com o ambiente turbulento no País, estão guardando dinheiro para investir na empresa que já é conhecida, reduzindo risco de exposição em novatas. A precificação da oferta acontece na próxima terça-feira, dia 20.

Com isso, a rede de hospitais mineira Mater Dei teve de dar um desconto de 20% no preço de suas ações durante a precificação de sua oferta (IPO) feita nesta quarta-feira, em relação ao que estabeleceu como referência inicialmente. Dos R$ 1,936 bilhão que pretendia girar, movimentou R$ 1,4 bilhão.

Sai de cena

Já a distribuidora de produtos farmacêuticos Viveo, que também tinha precificação de uma oferta de até R$ 1,99 bilhão hoje, preferiu tirar seu time de campo e recolher sua oferta, para não dar desconto e não depreciar o valor da companhia.

Amanhã será o teste da farmacêutica Blau, que vem desde 2018 tentando listar ações em Bolsa e já postergou da semana passada para amanhã, dia 15, a precificação de sua oferta. Semana que vem, dois dias depois de Hapvida, no dia 22, será a vez da rede de hospitais Care Caledônia, que mira uma oferta de R$ 790 milhões.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 14/04, às 18h49.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.