Hempmeds cresce em receita e importações no Brasil, mesmo em ano de crise

Talita Nascimento

27 de janeiro de 2021 | 05h12

Para a Hempmeds, que estava habituada a crescer cerca de 45% por ano em receita no Brasil, a alta de 14% registrada em 2020 foi motivo de alegria. A empresa vê como grande feito o fato de aumentar seu faturamento em tempo de crise, em um momento em que há mais concorrentes na praça. Subsidiária norte-americana Medical Marijuana, a Hempmeds recebeu a primeira autorização da Anvisa para importar produtos à base de canabidiol, mas reinou sozinha por pouco tempo. A partir de 2018, viu o mercado se expandir de aproximadamente seis empresas para cerca de 50.

Mais fácil. No dia 24 de janeiro completa-se um ano de uma medida da Anvisa que aumentou o tempo de validade das autorizações para importação de produtos à base de canabidiol que tenham fins terapêuticos. Essa mesma decisão facilitou alguns processos burocráticos para obter esse direito. Para o diretor-geral da unidade local da empresa, Matheus Patelli, essa mudança ajudou a aumentar o número de unidades comercializadas para o Brasil. A HempMeds registrou um aumento de 34,5% no número de pedidos dos produtos de Cannabis medicinal para o mercado brasileiro em 2020, em comparação com 2019.

Espaço. O mercado brasileiro é visto com um grande potencial de crescimento pelas empresas do setor. Estima-se que de 500 mil médicos no País apenas 0,02% prescrevam medicamentos do tipo. Por isso, a Hempmeds dedica boa parte de seus investimentos a ações de comunicação voltadas à comunidade médica. O grande esforço da empresa neste ano é trabalhar para ter produtos comercializados em farmácias no Brasil. Hoje, apenas um tipo de derivado do canabidiol pode ser vendido assim. O plano é entrar nas gôndolas até 2022.

contato: coluna.broadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

HempmedsMedical Marijuanacannabis

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.