Importação de energia da Argentina cresce 2,4 vezes e bate recorde

Importação de energia da Argentina cresce 2,4 vezes e bate recorde

Wilian Miron

01 de janeiro de 2021 | 05h07

Torres de linhas de transmissão de energia. Crédito da foto: Marcelo Min / Estadão Conteúdo

O volume de energia importada da Argentina em novembro, por meio da transmissora Enel Cien, cresceu 2,4 vezes na comparação com o mesmo período do ano passado, chegando a 1.161 gigawatts-hora (GWh). No ano, até 17 de dezembro, foram importados 2.300 GWh, o equivalente a 15% da carga da Região Sul.

Recorde. Segundo a empresa, os níveis importados em novembro são os maiores registrados desde o ano 2000, quando a transmissora iniciou suas operações. No acumulado do ano, a empresa registrou o terceiro maior volume. Apesar do aumento das chuvas na região Sudeste e Centro-Oeste no período úmido, o volume de energia importada no ano cresceu 8%.

Seca. A alta é resultado das medidas adotadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), desde outubro, para poupar os reservatórios das hidrelétricas que estão próximos às menores médias registradas desde 2015. Entre elas está o aumento nos volumes de energia importados de países vizinhos, como Argentina e Uruguai.

Reservatórios. No último domingo, 27, as represas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que é responsável por 70% do armazenamento de água para a geração de energia, operavam com 17% de sua capacidade. No Sul, o nível era de 27%, de 26% no Norte e 46% no Nordeste.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 31/12/2020 às 12:25

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse
http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

 

Tudo o que sabemos sobre:

energiaargentinaimportaçãoenel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: