Importador usa terminal alfandegado para otimizar caixa na pandemia

Importador usa terminal alfandegado para otimizar caixa na pandemia

Gabriel Baldocchi

12 de maio de 2021 | 05h30

Foto: Fabio Motta/Agência Estado

As incertezas provocadas pela pandemia têm levado as empresas a fazer esforços adicionais para melhorar a gestão do caixa num período de recursos escassos. Um sinal disso é o aumento das cargas nos terminais alfandegados, usados como parte da estratégia de importadores para postergar o pagamento de impostos na nacionalização dos produtos.

Segundo o grupo de logística Localfrio, esse é um dos principais motivos por trás da alta de 17% no número de contêineres armazenados em sua área do Guarujá (SP) no primeiro trimestre. No terminal de Suape (PE), a alta foi de 13% no período.

Entre as principais cargas armazenadas estão alimentos, bebidas, componentes eletrônicos e produtos químicos. Além de escalonar o pagamento de tributos, a estratégia evita multas por demora na liberação de contêineres no porto e também permite administrar melhor os efeitos da variação cambial na hora de nacionalizar as mercadorias.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 11/05, às 18h15.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

terminalimportaçãolocalfrio

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.