Impulsionada pelo home office, Usiminas coloca sede em BH à venda

Impulsionada pelo home office, Usiminas coloca sede em BH à venda

Fernanda Guimarães

11 de setembro de 2020 | 05h30

O assunto já esteve em outros momentos na mesa, mas a pandemia e a experiência bem-sucedida do home office fez a Usiminas colocar sua sede, marco arquitetônico no bairro de Pampulha em Belo Horizonte, à venda. Caso o negócio seja concretizado, a ideia é levar a parte administrativa da siderúrgica para salas comerciais, no centro-sul da capital mineira. Antes da pandemia, trabalhavam presencialmente no prédio de seis andares entre 300 e 400 pessoas. No fim dos anos 2000, época de muitos investimentos na empresa, eram mil, grande parte engenheiros.

Economia. Além de fazer caixa com a venda, a economia também virá do corte nos grandes custos de manutenção do prédio, que inclui jardins de Burle Marx e foi inaugurado em 1980. Até então, a sede da Usiminas ficava em um edifício comercial. A siderúrgica poderá voltar ao mesmo modelo, 40 anos depois. Procurada, a Usiminas não comentou até a publicação desta nota.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: