Incorporadora SKR estreia no setor de prédios residenciais para locação

Incorporadora SKR estreia no setor de prédios residenciais para locação

Circe Bonatelli

20 de janeiro de 2021 | 05h15

Prédio corporativo Infinity Tower, da construtora Yuny, no Itaim. Crédito da foto: Divulgação Yuny

A incorporadora paulistana SKR – que tem a Cyrela, de Elie Horn, como sócia – é a mais nova estreante no mercado de edifícios residenciais construídos para locação em vez de venda. O segmento ainda é pouco explorado no Brasil, mas tem atraído marcas globais nos últimos meses.

Trio. A SKR participará de uma joint venture com o fundo de pensão canadense CPP Investments e com a americana Greystar Real Estate Partners, especializada no ramo lá fora. A brasileira terá 20% do negócio, enquanto os outros parceiros terão 75% e 5%, respectivamente.

Mãos à obra. O grupo tem quatro empreendimentos engatilhados. O primeiro deles fica entre a Avenida Rebouças e a Rua dos Pinheiros, tem 220 apartamentos, entrega em 2023 e investimentos de R$ 200 milhões. Há mais três projetos em fase de licenciamento, sendo que dois podem iniciar as obras ainda este ano, conta o fundador da SKR, Silvio Kozuchowicz.

Cópia. Este é um espelho de outra joint venture firmada no fim de 2019 entre a própria Cyrela com CPP e Greystar. Ao todo, o plano é investir R$ 1 bilhão em 10 empreendimentos nos próximos três anos em São Paulo. Os desembolsos podem ir além se houver boas oportunidades de negócios e a economia brasileira se recuperar após a crise, afirma o diretor da Greystar na América do Sul, Tom Livelli.

Engatinhando. No Brasil, ainda é muito comum pessoas físicas comprarem ou construírem moradias e as alugarem por meio de imobiliárias. Já nos Estados Unidos e na Europa, o segmento é dominado por grandes empresas, que detêm milhares de apartamentos em prédios erguidos para esse fim, ganhando escala nas operações.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

mercado imobiliárioSKRlocação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.