Indústria de SP questiona acordo Comgás-Petrobrás

Indústria de SP questiona acordo Comgás-Petrobrás

Coluna do Broadcast

20 de março de 2019 | 04h00

A indústria paulista fez nova ofensiva para tentar amenizar o reajuste do gás natural, previsto para maio. Representantes de vários setores protocolaram pedido de esclarecimento à agência reguladora (Arsesp) sobre um acordo costurado entre a Comgás e a Petrobrás em uma briga judicial. Eles querem saber qual é a natureza de uma indenização devida pela estatal à Comgás, ou seja, de que forma será tratada pela distribuidora.

Se a indenização estiver contabilizada como “recurso extra” (receita requerida, no jargão), indicaria melhor condição financeira da companhia e, segundo argumenta a indústria, faria o preço da distribuição do gás cair. Assim como em outros setores, qualquer ganho de eficiência financeira da empresa tem de ser repassado ao consumidor.

Acordo. A indenização paga pela Petrobras à Comgás, de cerca de R$ 800 milhões, está prevista em um acordo costurado entre as partes para pôr fim a uma série de processos. Por ele, também ficou decidido que a Comgás pagaria à petroleira R$ 1 bilhão, por ações diferentes – valor que já foi pago. Procurada, a Comgás informou que as ações judiciais foram encerradas em novembro de 2018 e que a indenização já foi apresentada em balanço.//Bárbara Nascimento

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Mais conteúdo sobre:

Comgáspetrobrás