Intenção de consumo das famílias cai 0,6% em fevereiro ante janeiro

Intenção de consumo das famílias cai 0,6% em fevereiro ante janeiro

Vinicius Neder

21 de fevereiro de 2021 | 05h01

 

Carrinho não tão cheio no supermercado. Crédito da foto: Amanda Perobelli/Estadão

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), indicador calculado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), caiu 0,6% em fevereiro ante janeiro, para 74,2 pontos. Foi a primeira queda após cinco meses de alta. Em relação a fevereiro de 2020, quando a covid-19 ainda não tinha chegado ao País, a queda foi de 25,3%, o 11º mês de recuos nas comparações interanuais.

Mercado de trabalho. Segundo a CNC, o mercado de trabalho pesou no resultado negativo do ICF em fevereiro. Tanto o componente do Emprego Atual quanto o da Perspectiva Profissional caíram. O indicador do Emprego Atual caiu 0,3% em fevereiro ante janeiro, após quatro meses de alta. Ante fevereiro de 2020, sofreu um tombo de 25,4%. Já o componente Perspectiva Profissional caiu 1,7% em fevereiro ante janeiro, com tombo de 17,4% ante fevereiro de 2020.

Incerteza e cautela. Para os economistas da CNC, conforme o relatório do ICF, apesar da “recuperação gradual da percepção do emprego atual e das perspectivas em relação ao futuro profissional dos últimos meses, o mercado de trabalho ainda exige atenção”. Em resumo, embora os dados de fevereiro tragam “fatores positivos que corroboram uma percepção de melhora nas condições de consumo”, os “ambientes econômico e político ainda geram incertezas, exigindo cautela dos consumidores”.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 19/02/2021

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse
http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

consumofamíliasCNC

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.