Investidor faz negócio na B3 inspirado em empresa de ‘cheque em branco’

Investidor faz negócio na B3 inspirado em empresa de ‘cheque em branco’

Cynthia Decloedt

18 de abril de 2021 | 05h30

Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A Alef, empresa listada na B3 criada pelo Opportunity, vai ser transformada num negócio inspirado no conceito “cheque em branco” – em que recursos captados serão utilizados para adquirir participação em uma empresa sem que os investidores saibam o nome de início. A Alef é avaliada em apenas R$ 5 milhões, já que não chegou a ser operacional, e agora foi comprada por um investidor que vai capitalizar a companhia. A ideia é montar uma carteira de empresas de tecnologia a partir dela. O negócio passa a se chamar Ybyrá.

O sócio investidor da Ybyrá, Thiago Moura, ainda estuda com assessores se a capitalização será feita por meio de um follow-on, que na verdade seria um re-ipo já que as ações estavam paradas na bolsa, ou um “private placement”, junto a um grupo fechado de investidores. Informalmente, family offices e fundos de fundos já estão sendo abordados. A ideia é levantar cerca de R$ 200 milhões em três a seis meses. Os recursos devem ser utilizados para aquisição de cinco empresas do setor de tecnologia.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 16/04, às 20h05.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

alefopportunityYbirá

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.