Investidores institucionais ficam com 32% das emissões de CRAs

Investidores institucionais ficam com 32% das emissões de CRAs

Coluna do Broadcast

23 de novembro de 2018 | 04h00

Os investidores institucionais deram um salto nas aplicações em títulos de securitização, especialmente nos Certificados de Recebíveis Agrícolas (CRAs). De acordo com os dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), considerando todos os aportes em CRAs entre janeiro e outubro, 32,1% ficaram com esses investidores – no mesmo período do ano passado, a fatia era de 9,4%. Nos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), a participação dos institucionais passou de 60,8%, até outubro de 2017, a 64,8% neste ano.

Escassez. O cenário de juro baixo e falta desses papéis vêm, no entanto, mudando essa dinâmica desde o ano passado. A redução na oferta de CRIs foi mais acentuada. Até outubro deste ano foram 82 ofertas, contra 126 no mesmo período do ano passado. Entre os CRAs, na mesma base de comparação, o numero de ofertas caiu para 46, ante 63 em 2017.

Pessoa física. Nos últimos dois anos, a maior parte das alocações em CRAs e CRIs vinha dos intermediários e participantes ligados às ofertas, como os próprios bancos líderes das emissões, além das pessoas físicas.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Mais conteúdo sobre:

CRAsmercado de capitais