Investimento direto dos EUA no Brasil em compasso de espera

Coluna do Broadcast

29 de janeiro de 2017 | 05h00

dolar_clayton de souza_blog

(Foto: Clayton de Souza/Estadão)

Os investimentos diretos de empresas dos Estados Unidos no Brasil entraram em modo de espera. As companhias americanas estão analisando o início de governo do novo presidente Donald Trump, que tem cumprido suas promessas protecionistas ao longo dos primeiros dias de mandato. Especialistas apontam que as empresas podem deixar de investir em outros países para ter na manga uma moeda de troca com Trump.

100 dias

O prazo, conforme advogados, é que essa análise dure os primeiros cem dias do novo governo. Após esse período, os investimentos podem destravar ou ficar em definitivo na gaveta. Desde a posse de Trump uma companhia americana já realizou um desinvestimento: a bolsa americana CME vendeu sua participação na BM&FBovespa.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.