IPCA já substitui IGP-M em 35% dos contratos de aluguel do Quinto Andar

IPCA já substitui IGP-M em 35% dos contratos de aluguel do Quinto Andar

Circe Bonatelli

31 de março de 2021 | 05h05

Locação e venda de imóveis em São Paulo. Crédito da foto: Werther Santana/Estadão

Pouco mais de quatro meses após a imobiliária Quinto Andar trocar o IGP-M pelo IPCA em seus modelos de contratos de aluguel residencial, 35% dos negócios ativos (novos contratos e renovações) já adotaram a substituição dos indicadores. A troca é uma sugestão, não uma regra.


O IGP-M é o indicador tradicional para esses tipos de contratos. No entanto, tem causado muitas dores de cabeça a inquilinos e proprietários devido à forte elevação há mais de um ano, o que tem provocado muitas renegociações entre as partes.

O IGP-M acumula alta de 31,1% em 12 meses, bem acima da inflação oficial medida pelo IPCA, de 5,20%. A cesta que compõe o IGP-M tem maior influência do câmbio, o que explica boa parte do descolamento na comparação com outros indicadores.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 30/03/2021, às 15:26:59.

Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

aluguelquinto andarIGP-M

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.