IPO da Saudi Aramco deve animar venda de ações da Petrobras pelo BNDES

IPO da Saudi Aramco deve animar venda de ações da Petrobras pelo BNDES

Fernanda Guimarães

10 de dezembro de 2019 | 04h00

O sucesso da abertura de capital da Saudi Aramco deverá animar o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a engatilhar em breve a venda das ações da Petrobras que estão em sua carteira. A emissão da petroleira saudita foi a maior oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da história. Superou, inclusive, a gigante chinesa Alibaba ao realizar uma oferta de US$ 25,6 bilhões. Apesar do tamanho, a demanda superou em mais de três vezes a oferta. Na Petrobras, o banco de fomento possui cerca de 19% das ações preferenciais e 10% das ordinárias (com direito a voto), que hoje valem cerca de R$ 56 bilhões. A participação, contudo, não deverá ser desfeita integralmente em 2020.

Largada.
O BNDES dará a largada em seu processo de desinvestimento de sua bilionária carteira de renda variável já na próxima semana, quando venderá sua participação na Marfrig e colocará no caixa mais de R$ 2 bilhões. Para janeiro, está no cronograma a venda de metade de sua fatia na JBS, em uma operação de cerca de R$ 8 bilhões. O segundo lote será vendido em outro momento, mas ainda no ano que vem. No cronograma do BNDES para 2020, além de Petrobras, estão previstas ainda as vendas das ações da siderúrgica Tupy e da empresa de energia Copel. Procurado, o BNDES afirmou que “não comenta sua estratégia no âmbito de suas companhias investidas”.

 

A nota foi publicada no Broadcast às 16:01.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.