Itaú Unibanco aposta em novo modelo de agências rumo ao banco do futuro

Itaú Unibanco aposta em novo modelo de agências rumo ao banco do futuro

Coluna do Broadcast

12 de maio de 2019 | 04h00

O Itaú Unibanco abriu as portas de duas novas agências que dão pistas do que pode ser o seu modelo de banco do futuro no Brasil. Localizadas na capital paulista, as unidades contam com totem para transações, mobília flexível e caixas eletrônicos – os bons e velhos ATMs – avançados. É possível fazer depósito imediato e sem envelope, pagar conta com dinheiro e receber troco, inclusive, em moedas.

Sem atrito. O autosserviço aumentou embalado numa dose maior de tecnologia presente no atendimento. A ideia é aumentar a digitalização dos clientes, mas, sobretudo, oferecer novos formatos de atendimento. Ainda não será o fim dos ‘caixas humanos’. Nem das portas giratórias. Em algumas agências, elas já não existem mais. Em outras, foram reposicionadas.

Vivo. Durante um ano e meio, o Itaú mapeou e analisou os hábitos dos clientes. O resultado foi testado e começa a chegar às ruas. As duas novas agências servirão de termômetro para a rede de 4.934 pontos. Ainda não chegou a vez do robô do banco, a Mari, que segue apenas na “agência laboratório” do Itaú.

Crédito:Felipe Gombossy

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

Itaú Unibanco

Tendências: