Justiça reconhece plano de RJ da Constellation apesar de recurso da Pimco

Justiça reconhece plano de RJ da Constellation apesar de recurso da Pimco

Coluna do Broadcast

24 de outubro de 2019 | 04h00

Na briga com a Constellation, braço de óleo e gás dos fundos Sun Star e Capital Group, a gestora americana Pimco, dona de cerca de 9% da dívida de US$ 1,6 bilhão em recuperação judicial da companhia, ficou em desvantagem. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro reconheceu o plano aprovado em 28 de junho, sobre o qual a Pimco questionava vários pontos. Entre eles, a destinação de US$ 150 milhões em garantias para o Bradesco pelo aporte de US$ 10 milhões e cartas de crédito.

Justo. Por outro lado, o TJ anulou uma cláusula do plano impedindo credores contrários a ele de participar dos novos financiamentos. Além do Bradesco, os demais credores, incluindo a Pimco, se comprometeram a fazer aportes na Constellation. No total, devem ser investidos cerca de US$ 100 milhões. A Constellation é representada pelo escritório Galdino & Coelho Advogados.

Vai e volta. A Pimco, que tem o escritório Cascione Pulino Boulos Advogados em sua defesa, pode voltar a recorrer. À gestora, desagradou o montante das garantias destinadas ao Bradesco, o que implicaria, em sua opinião, que outros credores abrissem mão de suas garantias. No entanto, conforme o plano, o Bradesco fornecerá cartas de crédito para a companhia e manterá outras como garantia da dívida dos credores que se comprometerem a conceder novos recursos.

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: