Klein quer levar Via Varejo sem oferta a minoritário

Klein quer levar Via Varejo sem oferta a minoritário

Coluna do Broadcast

05 de junho de 2019 | 04h00

Michael Klein, da família fundadora das Casas Bahia, tem acionado investidores financeiros ao longo dos últimos meses para buscar a saída do Grupo Pão de Açúcar (GPA) do capital da Via Varejo. A XP Investimentos, com o chapéu de assessor financeiro, tem a missão de atrair investidores para a empreitada. O interesse do empresário é buscar um desenho societário em que fundos entrariam com o capital na aquisição, de forma que a participação de Klein com capital (ou recursos) seria “marginal”. A ideia é atrair investidores de forma a pulverizar a fatia detida hoje pelo GPA, de 36%, para que a transação não configure uma troca de controle da varejista que é dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio.

Sem minoritários. O problema dessa operação é que engatilharia o instrumento chamado “tag along”, no qual o comprador precisa estender a oferta aos acionistas minoritários. Com a pulverização desejada, a fatia de 25% detida pela família Klein se tornaria preponderante e ela seria responsável pela administração da companhia. A intenção é manter a empresa listada em bolsa. No ano passado, a família teria defendido que o GPA realizasse uma oferta de ações no mercado (follow on), o que foi rechaçado pelos controladores do Pão de Açúcar.

Caça. Os investidores estão sendo sondados. Há três semanas, o fundo soberano de Cingapura (GIC) chegou a ser abordado. O GIC tem sido um dos investidores nas transações imobiliárias de Michael Klein, que tem se desfeito de alguns imóveis. A empresa especializada em reestruturação de empresas Starboard é um dos fundos que já teria indicado interesse no negócio junto com os Klein. Procurados, Via Varejo e a família Klein não comentaram.

contato: colunadobroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem delay, assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

Via VarejoGPA

Tendências: