Letti, marca de leite A da Agrindus, dobra produção em seis meses

Coluna do Broadcast

10 de junho de 2019 | 05h00

Em apenas seis meses, a Letti, marca de leite A da Agrindus, dobrou a produção para 20 mil litros por dia. A demanda surgiu após a empresa produzir o leite exclusivamente com a beta-caseína A2. A proteína não causa dificuldade de digestão, ao contrário daquele com beta-caseína A1. O investimento foi de R$ 2 milhões, incluindo a seleção genética para que só nasçam fêmeas aptas e a certificação da bebida.

Seleção

Segundo Roberto Jank Jr., diretor da Letti, das 4.200 vacas da empresa, 1.400 foram selecionadas com características genéticas para a produção do leite com a beta-caseína A2. São selecionadas as que têm o gene que produz a proteína A2 – do rebanho mundial, metade tem A1A2, 25% só A1 e os outros 25% só A2. Como a demanda é grande, principalmente para fórmulas infantis, a Agrindus terá todo rebanho apto em 2021. Dos 60 mil litros produzidos diariamente, 40 mil ainda têm a beta-caseína A1, à qual 35% da população brasileira acima de 16 anos é intolerante.

Tudo o que sabemos sobre:

leiteLettiAgrindus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.