Lightsource BP assina contrato para primeiro parque solar no Brasil em plano de 4GW

Lightsource BP assina contrato para primeiro parque solar no Brasil em plano de 4GW

Denise Luna

23 de julho de 2022 | 12h32

Projeto de energia solar da Lightsource BP. Foto: Divulgação/Lightsource BP

 

Criada em 2019 para desenvolver projetos de energia solar centralizada no mundo, a Lightsource BP, joint venture entre as duas empresas inglesas vai estrear o seu primeiro projeto no Brasil em 2024, em Abaiara (CE), próximo a Milagres, que dá o nome ao projeto. Com investimento de R$ 800 milhões, parte financiada pelo Banco do Brasil, a usina solar terá potência de 210 megawatts e é o primeiro passo para os 4 gigawatts (GW) solares planejados pelo grupo para o Brasil, segundo os executivos da companhia, Ricardo Barros e Pedro Vidal.

Para desenvolver o projeto, a Lightsource BP assinou um PPA (Power Purchase Agreement) com a América Energia, uma das maiores comercializadoras independentes do Brasil, por um período de 15 anos. O acordo faz parte da estratégia da empresa para chegar aos clientes menores e, aos poucos, vender todos os projetos planejados. Além do Ceará, existem planos para parques solares no Rio Grande do Norte, Bahia, Minas Gerais e Goiás. Além do Brasil, a Lightsource BP está em mais 17 países.

Ainda sem saber qual será o próximo parque a ser construído no País, Barros, o presidente da Lightsource BP no Brasil, afirmou ao Broadcast que a energia da planta solar de Milagres já está quase toda comercializada, mas uma parte ficará para ser negociada no mercado à vista.

A escolha do local, diz Barros, foi uma combinação de vários fatores, entre eles os incentivos fiscais. O projeto Milagres vai gerar aproximadamente 460 mil MWh por ano, energia é suficiente para abastecer aproximadamente 212 mil residências.

“É sempre uma combinação de alguns fatores, mas o diferencial do Ceará foram incentivos fiscais em relação ao ICMS, que trouxeram vantagens para o nosso Capex”, disse. Segundo ele, o Brasil é visto pelo grupo como um “hub natural” para outros países da América do Sul. “Temos a ambição de ir para outros mercados: Colômbia, Peru e Chile estão no radar”, afirmou.

Projeto no CE deve gerar 800 empregos

Durante os 21 meses de construção da unidade no Ceará, a previsão é de que sejam gerados 800 empregos diretos, com prioridade para contratação de mão de obra local, afirmaram os executivos. Segundo eles, a preocupação social ajuda a obter linhas de financiamento mais vantajosas, assim como as perspectivas de redução de emissões de gases efeito estufa (GEE). A planta do Ceará irá reduzir a emissão de 246.216 toneladas de carbono por ano, o equivalente ao consumo de diesel por mais de 57 mil carros.

De acordo com o vice-presidente de Originação e Comercialização da Lightsource BP no Brasil, Pedro Vidal, a parceria contempla a emissão de Certificados de Energia Renovável (I-REC) para todo o período e volume comercializado.

“A emissão dos I-RECs serve como vetor de geração de valor para o cliente, pois garante a sustentabilidade e a rastreabilidade, assegurando que a energia provém de fonte limpa. Essa é uma forma amplamente adotada no mercado mundial para demonstrar práticas sustentáveis com relação à geração e ao consumo de energia, com foco em compensar emissões de gases de efeito estufa”, explicou.

Para o presidente da América Energia, Andrew Frank Storfer, o contrato de longo prazo (15 anos) vai permitir que consumidores menores que estejam no mercado varejista recebam energia limpa e renovável, já que a comercializadora é responsável pela compra de um grande bloco de energia de um gerador de porte, fracionando esta energia em blocos menores e com diferentes prazos.

“Além de adquirir energia a preços competitivos, os consumidores também saberão que a energia é limpa e renovável. O mercado livre de energia no varejo está efetivamente avançando e hoje já é realidade a estruturação de geração de energia renovável baseada somente neste mercado.”, afirmou. “O futuro passa por grandes projetos estruturados desta forma, com consumidores gastando menos em energia e tendo ainda a satisfação de saber que contribuíram para a geração de energia limpa”, completou.

Solar pode se tornar a principal fonte de energia do País

A energia solar é cotada para se tornar a principal fonte de energia no Brasil a partir de 2050, podendo ser responsável por quase metade da geração nesse horizonte. Atualmente, é a terceira principal fonte de energia do País, perdendo apenas para as hidrelétricas e as usinas eólicas.

Os preços da energia solar também estão tornando-se mais competitivos e, de acordo com a Lightsource BP, não estão sujeitos à volatilidade cambial dos combustíveis fósseis ou ao aumento do preço da energia devido a restrição da geração hidrelétrica durante as secas, o que aumenta o poder de competição da fonte.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast  no dia 22/07/22, às 14h17

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

 

Tudo o que sabemos sobre:

solarenergialightsource BP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.