Loft, startup de compra e venda de imóvel, agora cresce no ramo de crédito

Loft, startup de compra e venda de imóvel, agora cresce no ramo de crédito

Circe Bonatelli

11 de setembro de 2020 | 05h00

A Loft, startup de compra, venda e reforma de residências, está crescendo agora no setor de crédito com garantia de imóvel – chamado no mercado pela sigla CGI ou home equity. A empresa lançou a linha de financiamento no segundo semestre de 2019 e fechou até agora 80 contratos, dos quais 68 de junho para cá. Ao todo, movimentou R$ 22 milhões. A taxa de juros na Loft parte de 0,85% ao mês.

Competição. A entrada de pequenas empresas no mercado de crédito com garantia de imóvel vai contribuir para aumentar a competição no setor. A carteira de CGI no Brasil ficou estagnada em torno de R$ 10 bilhões a R$ 10,5 bilhões nos últimos dois anos. Especialistas dizem que a linha enfrenta barreiras culturais que vão do medo do tomador do crédito de perder o imóvel cedido como garantia ao desconhecimento sobre a própria existência do produto.

Vantagem. Mas isso tem mudado. De uns tempos pra cá, o CGI passou a ser mais divulgado pelas instituições financeiras, desde grandes bancos a fintechs, aumentando as expectativas de um futuro mais promissor para esta linha. Hoje, o Itaú lançou sua linha de crédito imobiliário no modelo home equity, prometendo cobrar os menores juros do País. Como o imóvel é cedido como garantia, o CGI tem menos risco de inadimplência e abre espaço para juros menores do que outras opções de crédito pessoal, como consignado ou cheque especial, sem garantias.

contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

#imobiliário#homeequitry

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: